Previous Next

COVID-19 – Inverter a Curva da Pobreza

A Cáritas Portuguesa quer inverter a curva da pobreza em Portugal e hoje, simbolicamente, em Dia de Corpo de Deus, apresenta a sua estratégia de ação para alcançar este objetivo.

Não pode haver um “novo normal” para a pobreza. A missão da Cáritas em Portugal e no Mundo é combater todas as formas de pobreza e encontrar para cada pessoa que pede ajuda, caminhos de futuro ou novas oportunidades para recomeçar. A Cáritas olha para este momento da história como uma oportunidade para responder ao apelo do Papa Francisco de repor a verdadeira economia.
“Melhorar a vida das pessoas tem de ser o primeiro objetivo de tudo o que fazemos. É urgente corrigir desigualdades e haver um compromisso global para inverter todas as situações de pobreza. A partir do momento que uma pessoa pede ajuda a Cáritas o nosso empenho é para que ela encontre ferramentas para não voltar a precisar da nossa ajuda.” Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa.

A partir deste momento a Cáritas entra, por isso, numa nova fase de ajuda às famílias:
“Estamos comprometidos em cooperar para a inversão da curva da pobreza em Portugal e a partir de hoje toda a nossa ação se canaliza para dar resposta aos efeitos provocados pela Covid-19 a quatro níveis: 1) apoio de primeira linha; 2) apoio de Recuperação Socio Económica Inclusiva; 3) Apoio à capacitação da estrutura social da rede nacional Cáritas; 4) Apoio à rede Cáritas Internacional.

“Fazê-lo, hoje, em Dia de Corpo de Deus queremos dar um sinal à sociedade portuguesa do nosso compromisso com os mais pobres, à imagem daquilo que nos é exigido pela nossa identidade cristã. Quando os apóstolos disseram a Jesus que as pessoas que o ouviam estavam com fome, eles não estavam a falar apenas de pão e vinho, mas do que é necessário para viver.” Eugénio Fonseca.

O apelo que a Cáritas faz a toda a população portuguesa é que acreditem que é possível, através de mais justiça social e solidariedade, erradicar a pobreza absoluta. O pouco de muitos tornar-se-á numa gigante solidariedade.

“Naturalmente que para além do donativo individual, é necessária a cooperação com as entidades locais e com todas as organizações no terreno que têm o mesmo fim e, naturalmente, precisamos da ajuda de todos os portugueses e empresas para que esta missão seja possível.” Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa.
Em todo o país, através do seu trabalho diário de contacto com a população, a Cáritas foi uma das primeiras organizações a sentir os efeitos socioeconómicos da pandemia e a alertar para as suas graves consequências junto das famílias portuguesas. Face às alterações sociais que foram impostas às famílias, muitas novas situações de pedidos de apoio surgiram e para elas, como sempre, a Cáritas criou uma resposta imediata.

Desde o início da atual crise provocada pela propagação do novo Coronavírus – COVID-19, que a rede das 20 Cáritas Diocesanas responde ao aumento na procura de ajuda nos grupos considerados de apoio prioritário: população sénior, famílias e crianças em situação de vulnerabilidade, pessoas em situação de sem-abrigo, migrantes em situação de vulnerabilidade social.
A Cáritas Portuguesa assegurou, na primeira hora, todas as condições de saúde e higiene aos seus profissionais, voluntários e beneficiários. Disponibilizou, em abril, uma verba de apoio às Cáritas Diocesanas que nunca pararam o seu trabalho no terreno e identificaram como principal necessidade o acesso a bens alimentares.
Chegou a hora de reforçar e multiplicar a nossa ação no terreno.

“Pela nossa capacidade de proximidade, estamos junto daqueles que procuram a nossa ajuda nas comunidades um pouco por todo o país. Precisamos de todos, agora, para nos ajudarem neste milagre da multiplicação e garantir que tudo é feito para que as famílias, possam recuperar a sua vida ou redesenhar o seu caminho.” Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa.

A rede nacional Cáritas irá continuar a trabalhar para que todos os que estão em situação de maior vulnerabilidade tenham condições para uma subsistência com dignidade, para que ninguém fique para trás.

 Os donativos podem ser feitos através:
- Do site em: caritas.pt/covid-19-donativo-online/
- Conta Solidária “Inverter a Curva da Pobreza”: PT50 0045 9020 4032 6607 7081 5 (Caixa Agrícola)

Mais informações em www.caritas.pt/covid-19-a-resposta-da-caritas/

 

Uma só família humana, alimento para todos

Senhor, nosso Deus, confiaste-nos os frutos da Criação para que soubéssemos cuidar da Terra e fossemos por ela alimentados generosamente.
Enviaste-nos o teu Filho para partilhar a nossa carne e o nosso sangue, ensinando-nos a Lei do Amor. Pela sua morte e ressurreição tornamo-nos uma só família humana.
Jesus manifestou uma particular atenção para com aqueles que não tinham alimento, transformando mesmo cinco pães e dois peixes num banquete para mais de cinco mil pessoas.
Apresentamo-nos diante de Ti, Senhor nosso Deus, conscientes das nossas faltas e das nossas omissões, mas cheios de esperança, para partilhar o alimento com todos os membros da grande família humana.
Na tua sabedoria, inspira os responsáveis dos governos e das empresas, inspira os cidadãos do mundo inteiro para que encontrem soluções justas e solidárias capazes de pôr termo à fome, assegurando que todos os povos tenham direito à alimentação.
Isto te pedimos, Senhor nosso Deus, para que quando estivermos diante de Ti possamos apresentarmo-nos como “Uma Só Família Humana” com “Alimento para Todos”.
Ámen.

 

Márcia Carvalho, in Voz de Lamego, ano 90/29, n.º 4564, 16 de junho de 2020

A acontecer...

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6

Pesquisar

Redes Sociais

Fale Connosco

  254 612 147

  curia@diocese-lamego.pt

  Rua das Cortes nº2, 5100-132 Lamego.

Contacte-nos

Rua das Cortes, n2, 5100-132 Lamego

 254 612 147

 curia@diocese-lamego.pt

 254 612 147