Previous Next

Visita Pastoral à Paróquia de S. Pelágio de Alhões

No passado dia 6, do corrente mês, o Sr. D. António Couto deu início à Visita Pastoral à paróquia de S. Pelágio de Alhões, da Zona Pastoral de Cinfães.
Às 15h00 visitou a pequena capela dedicada a Nosso Senhor do Amparo, Nossa Senhora das Necessidades e S. Macário, localizada nas portas do Montemuro, ao lado da estrada nacional que liga Cinfães a Castro Daire. Este pequeno templo celebrou o ano passado os 300 anos da sua construção, num local que então era ponto importante na travessia feita pelos almocreves que transitavam pela serra do Montemuro. Concluída esta visita partiu para um outro pequeno templo da paróquia, a capela dedicada a Sª Bárbara, situada já no interior da povoação. À chegada e com as pessoas presentes o Sr. Bispo estabeleceu um diálogo próximo e no interior do templo presidiu a uma Celebração da Palavra, evocou os antepassados que construíram o templo bem como todos quantos nele se reuniram no decorrer dos tempos para celebrarem a fé e destacou o seu profundo significado enquanto sinal visível da presença amorosa de Deus no meio do seu povo.


Deu início seguidamente à visita aos doentes, dando a Sagrada Comunhão e ministrando o sacramento da Santa Unção. Estes muito sensibilizados exprimiam a sua gratidão pela visita que lhes era feita de uma forma simples, próxima e amiga e pela qual vivenciavam o amor de Deus pelo seu povo, revelado através de Jesus, que está sempre próximo de todos e de um modo muito particular dos que possam estar mais fragilizados em razão da doença e ou da idade.


Pelas 18h30, na Igreja Matriz, presidiu à celebração da Eucaristia em que administrou o sacramento da Santa Unção a quantos o desejaram receber e deixou uma palavra sobre o sentido Visita Pastoral que estava a fazer à paróquia, através da qual as comunidades que constituem o Povo de Deus continuam a ser visitadas pelo Senhor. No final da Eucaristia, na residência paroquial, reuniu-se com a catequista e os quatro jovens que iam receber o sacramento do Crisma. Através de um diálogo envolvente que cativou os presentes aprofundou o significado do sacramento que iam receber, a importância do mesmo para as suas vidas e a necessidade de o fazer frutificar através do empenho na vida da comunidade e na causa da evangelização. Por parte do pequeno grupo de jovens Crismandos deram a conhecer um pequeno projeto que iriam procurar implementar de carácter social tendo como alvo os mais carenciados. Seguiu-se depois um lanche de confraternização em que tomaram parte também elementos do grupo coral litúrgico.


Às 16h30, do dia 9, o Sr. Bispo visitou a Sede da Junta de Freguesia, onde foi recebido pelo Sr. Presidente da Junta e respetivo executivo e onde se abordaram alguns dos temas que mais são sentidos nas comunidades do interior com destaque para a falta meios que garantam uma sustentabilidade com dignidade aos habitantes daqui naturais, levando a que os mesmos procurem em outros locais do país e do estrangeiro melhores condições para a organização das suas vidas.
Apesar da chuva, que entretanto se fez sentir, as pessoas reuniram-se para receber o seu bispo no início da rua que dá acesso à Igreja Matriz, que se encontrava ornamentada na totalidade da sua extensão, com uma bela passadeira de flores, integrando sugestivos quadros. Esta passadeira que envolvia ainda a Igreja, terminaria na entrada do cemitério. No cuidado posto no asseio e embelezamento deste percurso por parte dos catequistas, Crismandos, pais e outras pessoas da povoação a expressão de sentimentos de alegria e gratidão para com quem em nome do Senhor a todos visitava.


Às 18h, após uma palavra de acolhimento dirigida ao Sr Bispo por um crismando em nome da comunidade teve início a Eucaristia. Na preparação e animação da mesma, com base num guião preparado para este efeito, tiveram um papel direto a catequista e os jovens Crismandos, proclamando os textos bíblicos e a oração universal e preparando o ofertório. A preocupação com o envolvimento de todos em tão importante acontecimento verificou-se também com o grupo coral litúrgico que integrou alguns jovens universitários de Viseu e um jovem médico da paróquia que trabalha no hospital da Guarda tornado assim possível que os cânticos litúrgicos da celebração se revestissem de uma maior beleza e consequentemente melhor ajudassem a uma boa participação de todos quantos integravam a assembleia litúrgica. Na palavra dirigida à comunidade o Sr. Bispo lembrou que era a certeza da presença amorosa do Senhor no meio de nós a razão da Festa que celebrávamos, a ação do seu Espírito a força que nos abria ao amor de Deus e nos movia ao encontro fraterno com entre todos. Sublinhou ainda a necessidade de todos se empenharem na vida da comunidade, que deve por sua vez estimular o envolvimento de todos. A terminar e após uma palavra de agradecimento do Pároco e do Sr. Bispo, foi organizada uma procissão ao cemitério onde se concluiu a Visita Pastoral com uma oração de súplica por todos quantos já partiram para a casa do Pai, dos quais a comunidade quer continuar a fazer memória num um coração agradecido e confiante na misericórdia divina.
AAP, in Voz de Lamego, ano 88/28, n.º 4465, 12 de junho de 2018

A acontecer...

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
11
12
14
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Pesquisar

Redes Sociais

Fale Connosco

  254 612 147

  curia@diocese-lamego.pt

  Rua das Cortes nº2, 5100-132 Lamego.

Contacte-nos

Rua das Cortes, n2, 5100-132 Lamego

 254 612 147

 curia@diocese-lamego.pt

 254 612 147